Disney – qual escolher? Paris

Padrão

Ulalá! Paris, umas das cidades mais lindas do mundo… e ainda tem dois parques Disney! Então se seu problema é levar as crianças à Disney, Paris está no páreo! As vantagens de Paris

1-    é de longe o destino com mais atrações culturais e variadas: as crianças veem as múmias e a Monalisa no Louvre; visitam o quarto de Maria Antonieta em Versailles; visitam o túmulo de Napoleão ou seu Arco do Triunfo; andam de barco no Senna; acendem velas em Notre Dame; brincam nos carrosséis e praças espalhadas por toda a cidades… Destino de férias perfeito!

2-    e tem mais, além dos dois parques Disney tem o parque do Asterix, também na região metropolitana – cheque as datas pois ele fica fechado durante o inverno;

3-    há tanto o que fazer lá que encaixar os parques em poucos dias é até difícil. E believe me, as crianças até se esquecem deles!

4-    apesar das cerca de 11 horas de voo a maior parte dos voos chega no começo da tarde, o que ajuda a regular o fuso horário mais facilmente do que na Califórnia. Mais dicas aqui;

5-    Paris é um passeio de muitas caminhadas, muito uso de metrô e carrinho de bebê – se for o caso; As desvantagens de Paris

1 – inglês é essencial e se for possível um: “Pardon, Je ne parle pas français”;

2 – durante o inverno as temperaturas podem ficar bem baixas, perto de 0oC. Embora não seja comum nevar, pode acontecer de nevar (nunca tive o privilégio de ver Paris nevada…😦  ).

3 – a comida não chega a ser difícil, longe de ser traumática e ninguém vai ser obrigado a comer foie gras, no entanto é preciso alguma flexibilidade e disposição para experimentar coisas novas. Por outro lado, entrecorte com batatas fritas e o crepe de chocolate sempre salvam o dia, tá?

4 – como é um destino para ser percorrido à pé e de metrô/ ônibus, alugar carro por lá dá um trabalho danado – não é fácil estacionar, há transito, as ruas são estreitas. Esqueça o carro, melhor caminhar.

5 – franceses têm fama de não gostar de crianças. Não posso dizer isso porque nunca vivi nada que justificasse afirmar tal coisa, mas é verdade que é um país de pessoas mais contidas, mais velhas e mais… educadas… Então confusão demais, vozes muito altas, barulhos exagerados, comportamento inapropriado causam desconforto àqueles do entorno. Isso é mais preocupante quando as crianças estão acostumadas a chiliques ou escândalos, aí sim é preciso “regular” as crianças – mais aqui. Mas não se intimide se suas crianças sabem se comportar em diferentes situações e obedecem as orientações, keep in mind: crianças se cansam, têm fome e choram (não estou falando de chiliques) em todo o mundo, inclusive em Paris. Neste caso seus filhos serão bem vindos e você também voltará sem ter o que dizer a respeito do tema.

Meu voto…

Meu voto é sempre Paris…, depois a Califórnia… apesar de parecer uma viagem mais difícil ela é muito mais rica do ponto de vista cultural e acredite: as crianças amam! Amam inclusive os museus e as muitas histórias de reis, rainhas, Napoleão ou Victor Hugo. Elas ficaram  “amigas tão próximas” de Maria Antonieta que não tive coragem de contar o desfecho final da história, a última cena do último capítulo deixei para as aulas de história da escola.

E os dois parques da Disney? Ah, pois é! Os parques são ótimos, parecidíssimos com os parques de Los Angeles. Tem um que é a versão Magic Kingdom com o castelo, carrossel, Space Mountain (que segundo os maiores é a melhor delas), as paradas, It’s a Small World, o brinquedo da Branca de Neve, o brinquedo do Dumbo, a montanha russa do Velho Oeste… Enfim, o Magic Kingdom com alguma variação.

O castelo da Bela Adormecida em Paris Tem também o Walt Disney Studios que tem o tapete mágico do Aladin, a montanha russa Aero Smith (que é super radical), a montanha russa do “cachorro maluco” para os pequenos, a Casa do Mickey, o brinquedo do McQueen e as paradas e shows. Enfim, um mix de coisas legais que preenchem um dia inteiro. Remy do desenho Ratatouille Passamos horas muito divertidas lá. Encontramos o Mickey, as princesas, o Remy do Ratatouille, andamos de montanhas russas, tiramos fotos, comemos fish and chips.IMG_3162 Mas preciso confessar que os parques não foram o centro de nossas férias. Não que não sejam legais, mas porque Paris é muiiiito mais legal! E são as crianças que acham isso, tá?IMG_9546 Na lista das coisas mais legais de Paris os parques figuram mais ou menos na 3a ou 4a posição. Perdem facilmente para as múmias do Louvre e para a Torre Eiffel, por exemplo.

Se tinha dúvidas, decida-se! Vá experimente!

“A mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho original.“  (Albert Einstein)

O céu de Paris sobre o Pantheon onde estão enterrados Victor Hugo, Voltaire, Rousseau, Alexandre Dumas…

Paris – o que é preciso saber sobre a visita a Versailles

Padrão

O que você precisa saber sobre a visita a Versailles:

1) crianças menores de 18 anos não pagam. Apresente-as com documentos na entrada, onde são controlados os ingressos dos adultos.

2) compre os ingressos dos adultos pela internet ainda no conforto do seu lar, as filas lá são grandes.

3) existe uma fila para o guarda-volumes onde ficam as mochilas e pertences maiores. Objetos metálicos e comida não podem a ingressar no Château, nem carrinho de crianças.

4) não é permitido entrar no Château com carrinhos de bebês que tenham peças de metal (existe algum carrinho só de plástico?) então o bebê deve ir no colo ou no “canguru”, não esqueça de leva-lo!

5) os jardins de Versailles são enoooormes. Uma linda caminhada, um possível pic-nic. Um gostoso almoço. Nos jardins tem mais de um restaurante, café e banheiros, próximos ao Grande Canal.

6) é possível alugar carrinhos elétricos para deslocamento pelos jardins, se não me engano uns 30 euros! Talvez seja melhor queimar as calorias do croissant do café da manhã? Na primavera e verão também tem aluguel de bike;

7) Versailles fecha às segundas-feiras e é bem cheio no domingo.

8) há uma considerável distância entre o Château e o Trianon e a Vila Rural de Maria Antonieta (Domaine), onde ela brincava de ter uma vida simples e campestre. Os ingressos não são os mesmos do Château, os horários de funcionamento também não, abrem mais tarde e no inverno podem fechar mais cedo. A distância que os separa pode significar uma boa caminhada com as crianças, uns 20min talvez. Existe um trem que circula pelos jardins e que encurta um bocado desta caminhada. De qualquer forma, se seus planos incluem Versailles completo (Chateau e Domaine) é preciso acordar cedo e caminhar muito.

9) se avaliar que visitar todo Palácio de Versailles é muita coisa para um único dia que inclui as crianças, ida aos banheiros, almoço… dependendo da idade das crianças é mesmo muita coisa. Então concentre-se no Château e seus jardins. O Trianon e Domaine ficam para a próxima viagem🙂 , boa dica essa!?

10) outra opção é visitar Versailles em dois dias. Se sua estadia em Paris é mais longa esta é uma boa opção.

11) não deixe de visitar Versailles com as crianças. O palácio, as histórias dos reis, o salão de espelhos, os quartos dos reis… É fantástico!

IMG_1435

Paris – o que você precisa fazer antes de visitar Paris com as crianças

Padrão

Paris é linda e cheia de monumentos maravilhosos. À noite, toda iluminada é mesmo um dos lugares mais lindos do mundo.

E acredite, ainda que nunca tenha estado lá você e as crianças conhecem muitos dos mais lindos pontos de Paris!

Para trazer Paris de volta à memória, reveja com as crianças os desenhos animados ambientados em Paris:

1) Ratatoiuille – Remy encantado com as luzes da cidade é encantador, “Ah Paris, a cidade mais linda do mundo!”. As crianças eram apaixonadas por este filme e acabamos jantando no Au pied de Cochon cujo prédio parece o restaurante do Gousteau no filme. As crianças juravam que estavam jantando a comida do Remy!

2) O Concurda de Notre Dame – que além de mostrar muitos detalhes arquitetônicos e das torres  Notre Dame também introduz Victor Hugo, que pode ser visitado no Panthéon, onde também está o Pêndulo de Foucault, ou também é possível visitar sua casa na Place des Voges;

3) Os três mosqueteiros – com Mickey, Donald, Pateta e Minnie, mostra o Louvre, Versailles e seus jardins.

4) Os Smurfs 2 – Gargamel leva a Smurfete para Paris e as cenas são lindas! Aproveite para dar uma volta na roda gigante que sai rolando por Paris no filme!

IMG_9601

Vamos lá, é possível ter um gostinho de Paris ainda em casa!

Paris – como chegar a Versailles?

Padrão

Chegar a Versailles é muito fácil e a viagem dura uns 30min., mas é preciso atenção.

a) Primeiro compre os bilhetes do metrô + RER, zonas 1-4. O bilhete só do metrô que usamos para circular dentro de Paris não vale até Versailles, que é uma cidade da região metropolitana. Os bilhetes custam cerca de 4 euros.

b) O bilhete é aparentemente igual ao do metrô, embora o valor seja maior do que o de viagens dentro de Paris, e ele deve ser inserido e será devolvido a você quando passar pela catraca do metrô, quando sair da catraca do metrô em direção ao trem RER C e por fim para sair de dentro da estação do RER, já em Versailles. Acontece que este bilhete é necessário para liberar a catraca na saída, no final da sua jornada. Então guarde este bilhete até o final e pode inseri-lo e pega-lo de voltas tantas vezes lhe for pedido até que chegue finalmente a Versailles. Só não o perca, caso contrário você não vai conseguir sair lá na estação final! Ah, e se o controlador vier ele é a prova de que você pagou o bilhete. Na volta o esquema é o mesmo.

c) Com este bilhete zona 1-4 vá de metrô até a estação de conexão do RER C, Invalides ou Tour Eiffel, por exemplo. Lá as placas te indicarão a conexão metrô – RER C.

d) Seu destino é RER C Versailles Rive Gauche, o RER C que chega mais próximo ao Palácio. O trem costuma ter também uma identificação Château ao lado do destino Versailles Rive Gauche – margem esquerda do rio. Atenção na hora de embarcar, nas plataformas do RER têm uma tela/ tv que indica o destino do próximo trem, acompanhe estas telas antes de embarcar. Atenção, seu destino não é Versailles Rive Droit – margem direita do rio, esta saída é muito longe do palácio, tá?

e) desembarcando em Versailles Rive Gauche você verá as placas indicando Château, uma pequena caminhada, cerca de 3 min.,  e você estará de frente para as grades da entrada do Palácio.

Divirta-se!

Bia Europa 227

Paris- o que as crianças comem em Paris?

Padrão
Dúvida recorrente entre amigos: mas o que as crianças vão comer em Paris?
Bem, vou te contar que é muito mais fácil do que você imagina, mas já vou avisando: crianças que viajam têm que comer o que tem, se só comem o bife da babá x é melhor passar as férias na casa da babá x…
IMG_3202
1) tem entrecote com batata frita com muiiita frequência em bistros/ cafés próximos ao Louvre, à Notre Dame, à Torre, à Versailles. É verdade que é mais mal passado, eles são mais gourmets e a carne vem num ponto bem suculenta. Se isso é um problema para seus pequenos, gaste seu charme, educação e inglês, explique que está com as kids… e peça a carne mais bem passada um pouquinho. Em lugar de turistas isso é mais do que comum.
 *
2) beef bourguinon é o nosso picadinho de músculo num molho um pouco mais denso acompanhado de arroz, quase uma comida de casa. Não é exatamente o picadinho da Janete, mas faço uma lavagem cerebral nas crianças e eles curtem.
 *
3) nos museus e próximo de lugares turísticos sempre tem menu kids então rola hambúrguer, cachorro quente, polpetone, macarrão a bolonhesa ou carbonara, que é bastante comum…
IMG_9377

Coxa de frango, batata frita e salada (acho que no Les Invalides)

4) minhas kids AMAM crepe de chocolate ou Nutela. E depois de baterem perna o dia todo e comerem algo salgado, ainda que não tenha sido maravilhoso, o crepe está completamente liberado. É a sobremesa de quase todo restaurante;
 *
5) também amam um sanduíche que se chama Croque Mounsieur e Croque Madanne (igual + um ovo frito em cima com gema mole). Tipo um misto quente aberto, com queijos variados, molho bechamel. Grelhado e servido com o ovo em cima. O Dito come de joelhos. Na verdade eu também e de vez em quando faço em casa.
*
6) outra coisa que tem aos montes é omeletes recheados de muitas formas, queijos, presuntos, cogumelos. Eu amo os de cogumelos, o Papis até aprendeu a fazer e as crianças reconhecem omeletes com um dos nossos pratos de viagens.
 *
7) outra coisa muito comum em Paris são so sanduíches na baguete, que também podem ser comprados nas bancas abertas de restaurantes ou em trailers e apreciados num piquenique nos parques. São sanduíches com presuntos, queijos, tuna (atum o preferido do Dito), ovo, sempre acompanhados com alface, tomate. Uma delícia, para uma refeição mais rápida e ao ar livre.
IMG_9624

Baguete na saída do D’Orsay

8) Nos bistros/cafés tem opções de chocolate quente acompanhados de croissants e pães variados, muitos doces lindos e deliciosos. Mil folhas, pain au chocolate, macarons. Ninguém passa mal…
IMG_9518

Cafá da manhã na Caret, croissants, suco de laranja, geléia, chocolate quente e macarons, hummm

9) nas lojas de departamente do tipo Gallerie Lafayette, Printemps ou BHV tem restaurantes onde você escolhe o que quer comer. Não é buffet, é como por quilo, mas que você não pesa e paga aquilo que escolheu: porção de arroz (normalmente sem sal), porção de peixe, de filé de frango, de salada. Quase, quase uma comida básica brasileira. Só esqueça o feijão.
 *
10) e se você está achando bom, eles têm muito salmão, camarão, ostras, pato, cogumelos e filés de peixe. Verdade que é mais frequente nos restaurantes menos porta da Notre Dame, mas vocês não passarão mal. Muito pelo contrário!😉
 *
11) por fim, tem uma coisa que amo e que meus filhos também amam! Kebab! Um sanduíche turco com carne de carneiro ou kafta ou falafel, enrolado num pão folha, com salada e molho… Ai, como de joelhos! Agradecendo cada mordida! Minha boca até encheu de água agora! Tem kebab por toda parte em Paris e em toda a Europa, meu preferido é o do L’As du Fallafel (32, Rue dês Rosiers – é meu preferido há mais de 20 anos, muito antes de ficar famoso), próximo da Place dês Voges.
IMG_9668
Já percebeu que não passará fome? No fundo, a comida francesa é a base de uma comida internacional que tomou conta do mundo. Abstraia alguma variação que sua adaptação sofreu ao percorrer o mundo. Acho que ninguém morre de fome em Paris, as crianças não serão obrigadas a comer escargot, ou foie gras (que os meus adoram) ou ostras, vão sobreviver e até gostar! Ah e vão acabar aprendendo a gostar de foie gras também!😉
 IMG_7078
Mas é preciso avisar que não tem a comida da babá x lá, tá?
IMG_9522

Ah, e quem se comporta ganha macarons de sobremesa!

Em busca da próxima passagem… para Paris! (De novo!)

Padrão

Paris, de novo! paris 1 Olha vou contar dois segredos, o primeiro é previsível😉

É verdade que amo Paris, que amo a comida de lá, que amo caminhar pelas suas ruas, que amo o Quartier Latin, que amo foie gras e o kebab do L’As du Fallafel (e isso já tem mais de 20 anos, muito antes dele ficar famoso)… tudo isso é verdade!

O segundo segredo é o que te interessa: juntou à minha fome de Paris uma “política” da Air France onde você voa para qualquer lugar do mundo com stop gratuito em Paris, pagando só a taxa do Charles de Gaulle! E keep in mind, isso não é promoção. É política da Air France!

É por isso que vou para Estocolmo e “paro” em Paris, vou para Viena e “paro” em Paris, vou para Londres e “paro” em Paris. Para comprar estas passagens você só precisa entrar no site da Air France, clicar em múltiplos destinos e incluir Paris no seu itinerário na ida ou na volta ou nos dois! E você pode ficar lá quanto tempo quiser, 3 dias, 20, 50…

Agora você está pensando, mas as passagens da Air France não são caras?

Não exatamente. Elas estão sempre na média das concorrentes. Não é uma low cost mas está longe de ser uma companhia cara. Como referência, empata com a Tam internacional em tudo: preços, conforto, serviços. Mas tem uma vantagem: os funcionários nos cumprimentam sorrindo e dizem: bon jour madame!

Mas é claro que você deve fazer aquelas simulações com datas, checando se uns dias antes ou depois alteram um tantinho no custo da passagem. Como referência: passagens em torno de U$900 e pouco estão num ótimo preço, compre sem sair da página; passagens em torno de U$1.000 são honestas, pode pagar; e por fim, passagens por mais de U$1.200 são caras, mude suas datas ou destino.

Outra dica?

Cadastre seu email no site para receber as informações sobre promoções. Por exemplo, no mês de março/2015 a Air France e a KLM (que pertence à Air France) fizeram promoções com stops em Paris ou Amsterdã por até U$650!

Vou confessar que não comprei mas fiquei louca querendo comprar, bem que atormentei Papis mas não rolou. U$650 Paris e mais um monte de opções na Europa! Ai, meus sais!

Animou, então corre lá! Paris de novo com a  Air France! Bon voyage et à plus tard! Cidade Luz* isso não é um post patrocinado pela Air France, mas eu ia amar se fosse!!!😉

Califórnia – lista de posts

Padrão

A Califórnia contém o mundo dentro dela! É tanta coisa para fazer que eu acho que vou precisar ir até lá umas cinco vezes para me dar por satisfeita!

Bem, já fomos duas vezes com as crianças e o que fizemos por lá está aqui.

Califórnia (1) – nosso roteiro – 24/01/2014

Califórnia (2) – nosso roteiro – 21/01/2014

Fortaleza – nossa viagem de julho/2014

Padrão

Em julho de 2014 voltamos a Fortaleza e de novo adoramos!

Adoramos a temperatura do mar de lá. Adoramos o atendimento que recebemos. Adoramos o Beach Park. Adoramos um novo passeio à Prainha.

Ficamos sete dias, a principal atração era mesmo o Beach Park.

beach park 2Compramos ingressos para 07 dias no parque e fomos 04 dias. Dois dias seguidos (quinta e sexta), dois dias de folga (sábado e domingo) e depois dois dias seguidos novamente (segunda e terça).

beach parkContinuo achando que mais de dois dias seguidos em parques é exaustivo, por isso intercalamos. Também costumo apostar que os dias mais cheios são o sábado e domingo, então fazemos programas diferentes nestes dias.

beach park 3O brinquedo eleito como o mais legal pela galerinha foi o Arrepius, concordo com eles!

beach park 4

Também fizemos um passeio de buggy saindo da entrada do Beach Park por volta das 10h da manhã em direção às dunas da Prainha.

buggy

dunasLá as crianças brincaram no “insano natural” e fizeram “skibunda” na areia. Divertido.

skibunda skibunda 2

Na volta das dunas paramos para uma passeio de jangada para ver o menor caranguejo do mundo.

jangadaUm passeio que vale mais para contar que andou de jangada ou para se aventurar no esporte abaixo. Bibi amou!

jangada 2

Por fim paramos na barraca da Diva na Prainha e ficamos até o final do dia. A Prainha é uma praia super gostosa, com ondas mais calmas do que na praia do Futuro e muitas piscinas naturais.

prainhaNão fosse pouco, a barraca tinha boa infra-estrutura e serviu um pargo assado delicioso. Sabe daquelas comidas típicas simples, com nome em português e feita com carinho que os restaurantes já não fazem mais? Pois é, lá tem um peixe assado com farofa daqueles legítimos e deliciosos!

prainha 1

Meu palpite, a Prainha não deve faltar no seu próximo passeio, muiiito melhor que Cumbuco do ponto de vista de praia e barraca… Amamos e vamos repetir sempre que voltarmos!

Desta vez não alugamos carro, fizemos uso de taxi que transportava sete pessoas e foi muito bom. Gastávamos R$150 por dia no trecho Vila Galé – Beach Park – Vila Galé. Já do Vila Galé à feirinha na praia de Iracema gastávamos cerca de R$60, ida e volta. Circulamos muito num Doblo de 7 lugares do motorista José (85 8805 6078), super educado e atencioso. Também usamos a Spin do motorista Enoque (85 9688 0917), mas só cabiam 5 pessoas. E por fim circulamos como o Renato (85 8733 9921 ou 85 8804 2172) num Doblo que cabiam 8 pessoas, mas aí as malas talvez fiquem sem muito espaço. Ah, estes números estão aqui para os amigos, ganho absolutamente nada com isso e tampouco tenho alguma relação comercial ou de responsabilidade para com eles, ok?

IMG_7732

Olha Fortaleza é uma delícia!!! Dá para voltar muitas e muitas vezes, acho um destino imbatível no nordeste brasileiro, isso se estiver com as crianças, porque já comentei aqui que Salvador também é muiiito bom.

agua

 

Paris – lista de posts

Padrão

Ah, Paris é tão linda!!! Não me canso de voltar😉

Estivemos em Paris com as crianças (duas) três vezes. E eu já dei várias voltinhas por lá, inclusive passei seis meses em Paris quando acabei a faculdade. É um lugar especial no mundo e as crianças amam!

Paris – vale a pena comprar os ingressos antes de embarcar? – 07/11-2013

Paris – quais ingressos devemos comprar antes de embarcar? 11/11/2013

Paris – Em busca da próxima passagem… para Paris! (De novo!) 15/04/2015

Paris – o que as crianças comem em Paris? 23/04/2015

Paris – como chegar a Versailles – 30/04/2015

Paris – o que você precisa fazer antes de visitar Paris com as crianças – 05/05/2015

Paris – o que é preciso saber sobre a visita a Versailles – 12/05/2015

Paris – Qual Disney escolher? Paris 19/05/2015

paris 1

Com que roupa eu vou – como se vestir no inverno rigoroso, entre 0°C e 10°C

Padrão

Na Alemanha dizem que não existe frio, o que existe é roupa errada…

Na Inglaterra dizem que não existe frio, o que existe é gente que não sabe se vestir para determinada temperatura…

Isso até é verdade, mas também é verdade que o ponto de conforto térmico de cada pessoa varia de acordo com o clima com o qual esta pessoa está acostumada.

Em bom português, sob a mesma temperatura sinto mais frio e uso casacos mais pesados do que minha querida amiga finlandesa, que nasceu, cresceu e vive exposta a temperaturas de -10°C.

Mas dá para viajar para lugares frios e com neve sem morrer de frio?

Sim! Podemos viajar inclusive com as crianças (e bebês)! O segredo já foi respondido pelos alemães e ingleses: é preciso se vestir adequadamente para a temperatura que te espera.

IMG_1195

A Ninoca “viu” neve aos 04 meses! Mas já éramos marinheiros de terceira viagem…

1° – Vista-se em camadas – Sabe o que isso significa? Significa vestir:

a) uma camiseta justa colada ao corpo que retém seu calor;

b) uma cirola ou legging ou meião;

c) um casaquinho mais leve ou malha de lã ou fleece ou moleton sobre a camiseta;

d) calça jeans ou de veludo ou de lã ou forrada de fleece;

e) casacão sobre todos os anteriores;

f) gorro, cachecol e luvas.

Captura de Tela 2013-12-03 às 17.07.25

A foto acima ilustra perfeitamente a idéia das camadas:

a) camiseta de bolinhas justa retém o calor do corpo sob

b) casaco cinza leve de lã que aquece sem fazer muito volume e garante aquecimento quando estiver in door e for possível tirar o casacão. Este casaco leve poderia ser substituído por um casaco de fleece ou moleton ou uma malha de lã mais pesada ou um cashmere, esta escolha depende principalmente de quão frio estará. E sobre tudo, o

c) casacão grosso do tipo “bonequinho da Michelin”, que normalmente é impermeável e tem gorro.

Captura de Tela 2014-02-11 às 00.21.33

Fonte: Daily Mail

Acima outra foto didática, nela é possível ver até a “cirola”/ legging que Sarah Jessica Parker está usando. Também é possível ver que ela usava um colete ou casaco “puffer light” mais leve sob o casacão! E sua filha usava vestido, meião e botas impermeáveis sob o casacão.

Desculpa fugir um pouco ao tema mas preciso fazer um adendo… até eu que não sou louca com estas coisas tenho que concordar que puffer sobre puffer é coisa para gente muiiiito magra mesmo! Só mesmo SJP, né!?! Agora já podemos voltar ao post.

2° – Use roupas íntimas apropriadas para inverno rigoroso – A roupa íntima longa, que muitos de nós chama de segunda pele e que em inglês pode ser base layer ou warm tight ou long johns ou bottoms, é aquela camiseta e calça legging ou cirola que ficam justas no corpo e retém nosso calor.

Estes base layers são feitos a partir de uma variedade enorme de tecidos e tecnologias que “capturam” o suor do nosso corpo, transportam-o pelo tecido e o fazem evaporar. Desta forma nossa pele não fica em contato com a roupa molhada de suor (o que acontece com roupas de algodão) e consequentemente não “esfriamos”.

E se você não está entendendo esta conversa de suor em temperaturas abaixo de 10°C, keep in mind  que apesar do frio transpiramos quando caminhamos e eventualmente também transpiramos quando estamos em ambientes fechados (todos sempre são aquecidos), ah e é claro que também transpiramos quando praticamos esportes de inverno.

Mas voltando às roupas íntimas tecnológicas, elas podem ser Omni-hit, podem ser Flash Dry, podem ser Heattech, podem ser warm tight ou light tight, podem ser de lã e principalmente de tecidos sintéticos que incorporam esta tecnologia toda. É uma ciência enorme!

De maneira geral estas roupas são finas e leves, mas não são exatamente aquela “segunda pele” de tecido de meia-calça que encontramos facilmente no Brasil. A versão brasileira até quebra o galho, mas não é exatamente o “base layer” com tecnologia necessária para enfrentar o frio rigoroso que não temos por aqui.

Captura de Tela 2014-02-20 às 19.17.51

Sendo esta a realidade brasileira, não adianta levar ou comprar um monte de roupas de algodão no Brasil e ficar lamentando: “nossa estou usando 03 blusas e 03 calças e continuo com frio!”. A frase apenas evidencia que este tipo de roupa e tecidos não são os apropriados para o inverno rigoroso. Se vestir com um monte de camadas e ficar “overdressed” não resolve o problema, você continuará com frio e incomodado com o volume que as 3 camadas de roupa fazem.

Assim como não temos inverno rigoroso não temos também tecnologia e know how para produção de roupas específicas para inverno rigoroso.

Mas então, com que roupa eu vou?

Não sou uma expert em moda ou grifes, mas encontro estas base layers com facilidade na North Face, na Columbia, na Jack Wolf Skin, na Uniqlo, na Decathlon inclusive nas lojas de algumas destas marcas no Brasil. Os valores variam bastante, fora do Brasil na North Face começam em U$80 e na Uniqlo em U$20. Mas se seu destino é os EUA existe sempre a opção de compra-las em outlets, onde custam bem mais barato.

Fonte: North Face

Fonte: North Face

Diante dos preços e da inexistência da Uniqlo no Brail surgiu outra dúvida: estas roupas são essenciais? Vale o investimento?

A resposta é Sim se você vai viajar para lugares onde neva e a temperatura não deve subir além de uns 5°C. Neste caso você vai agradecer o investimento.

Sim se você é muito friorenta e não suporta um ventinho frio que vem da Argentina. Neste caso você também vai agradecer o investimento.

Também sim, mais do que isso “claro que sim!” se você vai esquiar, porque neste caso as roupas com tecidos “respirantes” que nos mantém secos e aquecidos são sim essenciais. Quando esquiamos ficamos expostos ao frio e umidade provocados especialmente pela proximidade da neve, mas também transpiramos por conta da puxada atividade física. E se transpiramos a tecnologia destes tecidos é parte essencial da atividade, quase tanto quanto os casacos, óculos ou capacetes.

Já a resposta pode ser talvez não se você não for para uma região que neva e se a temperatura for até cerca de 5°C, que é frio mas não é muiiito frio. E se for esta sua situação, uma meia-calça de lã ou legging e uma camiseta justa ou a segunda pele daqui podem fazer o mesmo serviço, numa opção “quebra-galho” bem mais econômica.

Agora sendo muito sincera: só uso estas roupas íntimas térmicas quando está nevando, ou chovendo e a temperatura baixa dos 8°C. E também sempre as uso quando quero usar vestido e meião, ainda que a temperatura esteja em torno de 15°C, aí como estou com roupas leves as roupas íntimas térmicas me protegem.

Quando a temperatura está acima de 8°C e especialmente quando na programação do dia tem passeios em museus ou in door não costumo usar as base layers porque acabamos não ficando muito expostos ao frio e eventualmente muita roupa em ambientes fechados nos faz suar, incomoda e transforma a ida ao banheiro numa cerimônia… Neste caso dá para vestir mais leve.

Mas keep in mind: não sou das pessoas mais friorentas do mundo e também tenho o segredo dos segredos que me permite fazer esta escolha, continue lendo e descobrirá daqui a pouco.

3° – Varie sobre a segunda pele – Sobre a segunda pele você pode usar camisetas, camisas, gola alta, coletes, cashmere, casacos de fleece, moletons, lã (mais grossa ou mais fina).

Na verdade o que vestir sobre a segunda pele depende essencialmente da programação do dia:

a) num dia de muita atividade externa vista todo seu arsenal pois o corpo vai esfriar, fleece e lã são os mais eficientes e provavelmente o casaco passará a maior parte do dia fechado;

b) já num dia de visita a museus e atrações in door, é possível variar sobre a segunda pele com peças um pouco menos pesadas e até mais “arrumadinhas”, eventualmente rola até vestido e meião, uma dupla adorada aqui em casa.

Captura de Tela 2014-02-16 às 12.11.04

E sabe por que? Por que nestes programas in door tiramos o casaco e muitas vezes o deixamos guardados na chapelaria, todos os ambientes são aquecidos. Então, se sua programação é mais in door dá para usar roupas mais leves, ainda que lá fora esteja muiiito frio.

20_02_2014_21_40_36

No Louvre, os casacos ficam na chapelaria

4° – Invista num casacão tipo “bonequinho da Michelin” – Este é meu segredinho, ou meu segredão😉 . Meu curinga. Não andamos com um monte de roupas nos incomodando todos os dias, mas temos casacos poderosos que suportam o frio de verdade. Eles se chamam puffer jackets ou down jackets ou duvets jackets e são impermeáveis, às vezes não 100%, mas garantem uma folgada margem de proteção à chuva ou à neve.

20_02_2014_21_34_37

Pessoalmente adoro casacos que chegam ao menos na metade da coxa, assim normalmente nem uso cirolas ou long johns ou meia-calças. Só uso se estiver muiiiito frio, nevando ou se for passar o dia “batendo perna” exposta a baixas temperaturas. Caso contrário, na maioria dos dias estou vestida com uma roupa de inverno que usaria num dia de inverno de SP e sobre esta roupa tenho meu casacão look  “bonequinho da Michelin”.

Dito e Iaiá na Abbey Road em Londres

Casacão, gorro, cachecol e luvas na Abbey Road

Mas quando você olhou este casacão da Kate Holmes ou da Jessica Parker você quis morrer!?!?

Ai você não veste um negócio deste de jeito nenhum? Como mostrar o corpo sarado por um ano inteirinho de academia e quilos de alface debaixo de um casaco deste tamanho que mais te faz parecer um boneco de neve!!!!!

Você sonhava caminhar pelas ruas de Paris parecendo a Kate Middleton e eu venho te dizer que é para se vestir como um boneco da Michelin!!!

Sorry, sinto desaponta-la. Se quer uma viagem inesquecível aquecida por um “curinga” que te protegerá do frio e te vestirá adequadamente em baixas temperaturas a solução é esta. Já o corpo sarado…, para andar no meio do frio ele terá que ficar “bem escondido”, quanto mais escondido ele estiver mais confortável você estará. É a moda boneco da Michelin mesmo, sorry… você vai se acostumar e até “criar amor” por seu casaco… vai achar “bonitinho”…

Mas tudo bem você tem razão, é verdade que este casacão não é a roupa mais elegante do mundo…

Captura de Tela 2014-02-20 às 18.44.09

O marido e filho de SJP também usam puffer jacket.

Tem um texto do Telegraph, What I’m wearing: a puffer jacket , que comenta o dilema do puffer jacket  com humor inglês, para rir ou chorar…

With duvet dressing you know right where you are, and it’s not in any land we might call elegance. 

Traduzindo livremente o humor inglês para um bom português: com uma puffer jacket  você estará colocado exatamente em seu lugar, e este lugar não é entre os elegantes…😦

Calma, não é tão ruim assim, isso é humor inglês. Tem puffer jackets lindos de marcas ultra fashions e caras que serão capazes de te fazer parecer elegante. Tem luz no fim do túnel! E ao menos Pipa Middleton usa puffer jacket!

Brincadeiras a parte, não há como escapar destes casacos, se escapar passará frio.

E nem brinque em não vestir as crianças corretamente, né? Mais do que os adultos, elas não atravessaram metade do mundo para passar frio, né? Nada de vesti-las só com moletons da GAP ou jaquetinhas jeans ou de couro. Quando a temperatura beira 10°C ou menos essas peças só têm vez embaixo do casacão, essencial é o casacão!

Dito e Iaiá no Palácio de Buckingham, não eram as únicas crianças por lá...

Em Buckinghan, muitos puffer jackets

Agora que você começa a se acalmar e se conformar com a idéia de ficar parecendo um boneco de neve nas fotos, é bom saber onde encontrar estes “preciosos” casacos puffers ou down jackets ou duvets jackets.

Captura de Tela 2014-02-17 às 10.26.44

Puffer jacket Ultra light da Uniqlo a partir de U$70

Primeiro keep in mind que grifes brasileiras não produzem puffer jackets com a tecnologia apropriada que lhe manterá super quentinha e seca, você já leu acima a “ciência” que envolve simples roupas íntimas e no caso dos casacos acontece o mesmo. Então não desperdice seu dinheiro porque não vai resolver. Inverno rigoroso e tecnologia para suporta-lo não fazem parte da cultura brasileira e tampouco fazem parte da cultura das confecções brasileiras.

Tanto na Europa quanto na América do Norte existe uma vastíssima oferta com tecnologia e preços mais variados possíveis. Estes casacos de nylon são recheados de plumas e penas, que garantem isolamento e aquecimento. O isolamento pode ser medido: de 550 fill-power down na Uniqlo a 900 fill-down na Columbia, North Face ou Jack Wolf Skin, que é o gold standard do isolamento e proteção.

É possível encontra-los na Uniqlo, que é das mais baratas e que tem uma versão Ultra light que cabe até num saquinho, a partir de U$70.

Captura de Tela 2014-02-17 às 10.26.15

A GAP e a Zara sempre têm a opção outwear na sua coleção de inverno e seus preços são bem razoáveis também, em torno de U$100. Marcas mais cobiçadas também costumam ter sua versão down jacket, na Abercrombie, Hollister, Tommy os preços variam de cerca de U$120 a U$200.

É indiscutível que North FaceColumbiaSalomon, Jack Wolf Skin ou Timberland, dominam muito a tecnologia Warm ou Heat quando o assunto é outwear e esportes de inverno. Na dúvida aposte em um casaco da North Face ou da Columbia e não passará frio de forma alguma, você vai até criar amor por um casacão destes, se tornará seu fiel e amado companheiro! Em SP tem lojas destas marcas, ou se você tiver um casaco quebra-galho para chegar a seu destino, deixe para comprar lá por um fração do valor encontrado por aqui.

Já se seus planos são mais ousados, a Burberry e Moncler sempre têm casacos lindíssimos, um sonho. E aí sim você vai se sentir como Kate Middleton.😉

E uma última dica, se você ainda está sofrendo com a ideia de se parecer o bonequinho da Michelin, escolha um modelo mais longo e com cinto, ele dá uma afinada na silhueta… Até te faz parecer elegante!🙂

Por fim tenha claro que este casacão a que me refiro não é o casaco para esquiar ou praticar esportes de inverno. Neste caso eles têm um outro objetivo e tecnologia, esquentam “menos” porque durante a prática do esporte suamos muito, têm a função de evaporar o suor e manter o calor do corpo, além de agir como quebra-vento. Você sentirá frio se comprar um casaco de esquiar em vez de uma down jacket. No nosso caso a meta é quanto mais quentinho melhor, e quem faz isso são as penas e plumas de uma down jacket, ok?

5° – Use e abuse de gorros, cachecóis e luvas – Sim, estes são complementos essenciais para enfrentar o frio. Mantenha o peito, cabeça e orelhas aquecidas.

Juntos na chegada em Los Angeles depois de 22 horas fora de casa

Luvas, gorros, cachecóis finalizam e mantém o corpo aquecido

Neste quesito é fácil variar e colorir o look do inverno. Vale faixas de cabeça, gorros, boinas, bonés, pashiminas, cachecóis… Abuse da criatividade mas não se esqueça deles, manter o peito e cabeça aquecidos é essencial!

Vou confessar, sou ninguém sem um cachecol. Sem ele morro de frio! Já Papis, não vive sem um gorro. E você?

6° nos pés meias e botas impermeáveis: os pés esfriam facilmente, para protege-los usamos meias de lã ou meias grossas que sobem até a metade da perna da Timberland, North Face ou Columbia. Sobre elas, botas impermeáveis de preferência. Normalmente Timberland ou North Face.

Bota IMG_3623

Até que tem umas bem bonitinhas!

Muitas mulheres e meninas, em especial, usam as botas UGG(ly), algumas delas com pele na parte interna e muitos brilhos no acabamento. Para minha sorte a moda ainda não chegou aqui em casa, além de caras (cerca de U$150) são UGG(ly), né? Mas se te agrada, siga em frente, super fashion é uma boa opção.

O segredo para proteger os pés: 1) compre a bota um número maior do que seu número, assim a meia grossa vai servir confortavelmente e 2) amacie a bota antes da viagem, assim não vai machucar seus pés logo no primeiro dia de viagem.

Se não estiver muiiito frio ou nevando é possível usar botas de couro mais leves e bonitas inclusive aquelas que usamos no inverno brasileiro. O único cuidado a ser tomado é quando está nevando: neste caso prefira solados de borracha pois solados de couro não isolam os pés do chão literalmente gelado e nos fazem escorregar facilmente.

img-468990-katie-holmes-e-suri-cruise

Para concluir é preciso ter claro que temperaturas abaixo de 10°C geralmente já são bastante frias para brasileiros. Dependendo do destino quando a temperatura baixa de 5°C é possível que neve, então vista-se corretamente e ninguém reclamará do frio.
E que venha o frio!

Aurora Boreal e Hotel de Gelo ou Ice Hotel na Suécia – tudo o que é preciso saber

Padrão

Tínhamos uma viagem planejada para Estocolmo em abril de 2014 e achei que seria possível ver a Aurora Boreal, que é uns dos Top10 da minha “listinha de lugares a conhecer”, e de brinde ainda conheceria o Ice Hotel.

Fonte: Ice Hotel

As luzes da Aurora Boreal Fonte: Ice Hotel

Pesquisei muito, fiz planos… mas desistimos. Abril já não é um mês com alta probabilidade de ver a Aurora Boreal, seria preciso uma “boa dose de sorte”…  :-(  E este é um programa caro, bem caro… melhor ir quando a dose de sorte não precisa ser grande. Então ainda não vai ser desta vez, mas qualquer dia desses chego lá, até porque está na listinha Top10 do Dito também!

Não fui mas resolvi dividir minha pesquisa porque deu um trabalho danado e não tem nada do tipo escrito em português. Quem sabe ajuda alguém sonhando com a Aurora Boreal e o Ice Hotel.

Aurora Boreal ou Northern Light – o que é

A explicação é um tanto complexa, a Aurora Boreal é o espetáculo de luzes que vemos no céu e que acontecem a partir de explosões solares que liberam partículas que são atraídas pelos pólos magnéticos da Terra e que ao entrar em contato com a atmosfera terrestre produzem este espetáculo de luzes, as Northern Lights ou a Aurora Boreal.

Teoricamente ela também pode ser vista na Antártica, mas como na Antártica não há aeroportos, cidades ou hotéis… só se você fizer parte das equipes de cientistas que vivem acampadas por lá… ou quem sabe a partir de um cruzeiro durante o inverno do hemisfério sul…

Já no hemisfério norte a Aurora Boreal pode ser vista no norte da Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia e Canadá.

Ice Hotel – o que é

O Ice Hotel  ou Hotel de Gelo na Suécia é o maior hotel de gelo no mundo, é construído todos os anos e funciona de meados de dezembro a meados de abril (em 2014 hospedará até 13/04). A partir de então ele derrete durante o verão nórdico e será novamente reconstruído no início do inverno.

Fica cerca de 15km do centro de Kiruna, 200km ao norte da linha do Pólo Ártico. Além do Ice Hotel tem o Ice Restaurant e o Ice Bar, tudo de gelo, claro. Em seu entorno tem alguns chalés e quartos de hotéis normais (Warm Accommodations), além de uma igreja, um supermercado e um restaurante também warm.

Em 2013/ 2014 eram oferecidos 06 tipos de acomodações diferentes, em quartos “iglus” onde os hóspedes dormem em camas de gelo cobertas por peles de renas e dentro de sacos de dormir, numa temperatura em torno de -5C ou no máximo -7C. Algumas suítes tem até sauna!

Captura de Tela 2014-02-16 às 14.37.31

No mês de abril as diárias “por pessoa” variavam entre R$520 e R$840. :-0 Falei que não era uma viagem barata!

Dentre tudo o que li a grossa maioria das pessoas diz que esta é uma experiência única na vida. Para contar e repetir para os netinhos. Poucos relatam a sensação de frio extremo durante a noite, mas todos são muito claros em dizer que é preciso usar as cirolas e camisetas térmicas, meias de lã e gorros quentes – o último oferecido pelo hotel, e evitar roupas de algodão. Resumindo, siga a orientação do hotel de como se vestir e provavelmente você não terá problemas.

Identifiquei poucas pessoas que não agüentaram passar a noite no gelo, mas poucas disseram que foi um sono super gostoso. Li várias dicas para não beber muito líquido antes de dormir para não ter que levantar para ir ao banheiro durante a noite! Ah, e os pertences do hóspede ficam guardados em lockers no vestiário para não congelarem no quarto de gelo!

Normalmente as pessoas passam uma noite (a primeira ou a última) num quarto gelado e depois se mudam para uma Warm Accommodation por mais pelo menos umas duas noites. As Warm Accommodations servem não só para aqueles que não agüentaram passar a noite no gelo, mas também e especialmente para os que sobreviveram a uma noite gelada, e já tem história para contar, mas gostam mesmo é de uma cama macia e quentinha num bom hotel.

Acontece que a Warm Accommodation também não é lá uma bagatela, a diária em abril/2014 era cerca de R$450/ pessoa. Tem também opções de chalés que acomodam famílias, mas nada é “em conta”… Em dezembro ou janeiro, especialmente no Natal e Ano Novo é ainda mais caro😦

Pelo menos o café da manhã está incluído na diária…

Ice hotel – como chegar

O Ice hotel fica cerca de 15km do aeroporto de Kiruna, na Suécia, 200km ao norte da linha do Pólo Ártico.

A SAS e a Norwegian Airlines voam para lá a partir de Estocolmo ou Copenhaguen. O vôo direto dura cerca 1:40min e, diante do resto, é bem barato. A partir de 70 euros na SAS com uma bagagem de 23kg despachada ou a partir de 45 euros na Norwegian sem bagagem despachada.

A partir do aeroporto o próprio hotel faz o traslado em vans, que custam em torno de U$20/ pessoa e duram cerca de 15 minutos.

Ou de Dogsled! Uhuuu suas malas vão numa van e você vai num “time” de até 04 pessoas de Dogsled (trenó puxado por cachorros)! Mas esta brincadeira custa a bagatela de R$2.000 para até 04 pessoas!!!

Fonte: Ice Hotel

Fonte: Ice Hotel

Nossa acho que é o traslado aeroporto – hotel mais caro do mundo! :-0 Melhor ir de van mesmo😦

Ice hotel – onde comer

No Ice Hotel tem um Ice Restaurant e um Ice Bar. Li relatos de que a comida no Ice Restaurant é boa no entanto o cardápio não é variado, a carne de rena foi a mais elogiada. Mas tenho que contar que também li relatos de que assim como as diárias, o Ice Restaurant também não é uma bagatela. Prepare a carteira.

No complexo tem ainda um Homestead Restaurant, a versão Warm Restaurant, com bela vista para o rio Torne, boa comida, variada e ligeiramente mais em conta do que no Ice Restaurant.

Também no entorno do Ice Hotel tem um pequeno supermercado onde é possível comprar snacks e alguma bebida.

Além destas opções tem alguns passeios noturnos de snowmobile ou dogsled em que está incluído um jantar num chalé ou numa tenda. Também tem alguns passeios diurnos que fazem paradas para um café ou suco de lingoberry (frutinha muito comum na Suécia) com bolo.

Ice Hotel – o que fazer

Todos os passeios e jantares oferecidos pelo Ice Hotel são majoritariamente elogiados e mencionados como memoráveis.

Especialmente o Overnight tour, das 15:00h às 11:00h do dia seguinte, que é um passeio de dogsled que o levará até uma cabana luxuosa no meio da floresta da Lapônia sueca onde tem sauna e um jantar memorável. Para encerrar a noite, um show particular da Aurora Boreal. Tudo muiiito especial pela bagatela de R$2.000/ pessoa!

Tem passeios de Snowmobile diurnos ou noturnos, este último faz parte do passeio para assistir/ buscar a Aurora Boreal. Nele está incluído um jantar por cerca de R$720/ pessoa. Diante dos preços vistos até aqui já estava achando este programa uma boa opção😉

Fonte: Ice Hotel

Fonte: Ice Hotel

Aliás os passeios oferecidos pelo Ice Hotel em busca da Northern Light podem ser de dogsled, snowmobile, cavalos e até de avião fretado. Os preços variam de R$700 a R$3.000 por pessoa.

Alguns passeios também podem ser feitos durante o dia pelas florestas da Lapônia Sueca, com paradas para snacks e para alimentar os cachorros ou renas que puxam os trenós que nos conduzem pela região. Ou para o encontro com o povo e cultura Sámi, inclusive experimentando pratos Sámis. São excursões que custam a partir de R$700/ pessoa, os descontos para crianças chegam a 50%, dependendo do passeio.

E sim, tem muitas fotos com crianças e este é um passeio muiiiito legal para ser feito com crianças.

Ice Hotel e Northern Lights ou Aurora Boreal – quando ir

A melhor época do ano para ver a Aurora Boreal é entre dezembro e março. A razão é simples, nesta época do ano os dias são muito curtos nesta região da Terra e consequentemente as noites são longas. Como noites escuras com céu aberto são essenciais para visualizar a Aurora Boreal, suas chances aumentam muiiiiito de dezembro a março.

Isso é inversamente proporcional ao que acontece em julho, quando as noites duram apenas 3h ou sequer escurece nos dias do Sol da Meia Noite. O que significa que é improvável que consiga ver a Aurora nestes meses.

Segundo um email que troquei com o pessoal do Ice Hotel, é possível ver as luzes em abril, “mas com uma dose de sorte e céu escuro”… já que abril “is sunny and bright”. Mas eles também me contaram que abril é a época preferida dos locais para andar de snowmobile e pescar. Só que eu queria ver a Aurora…

Além disso a Aurora Boreal passa por ciclos de sete anos em que ocorre maior número de explosões que desencadeiam o fenômeno. O ano de 2014 foi um ano em que estas atividades foram intensas e o fenômeno foi visto com relativa facilidade na região. O próximo ciclo tem seu ápice em 2021.

Ice Hotel – é a única opção?

Não, definitivamente não.

Na cidade de Kiruna tem vários hotéis e pousadas para “quase” todos os bolsos. Também tem várias agências de turismo que fazem os passeios de dogsled, snowbolibe, renas ou ski eventualmente mais em conta do que aqueles oferecidos pelo Ice Hotel. Passeios semelhantes tem custo a partir de R$450, ficou mais em conta, né?

Também é possível visitar o Ice Hotel num tour, sem estar hospedado lá (cerca de R$120/ pessoa).

Outra opção é ir a Abrisko, ainda mais ao norte, onde tem uma reserva florestal e um céu limpo na maior parte do ano. Abrisko tem estação de ski e programas para assistir a Aurora Boreal. É também destino de mochileiros, que conseguem ver a Aurora Boreal sem gastar uma montanha de dinheiro. Até porque o espetáculo da Aurora Boreal é um presente da natureza, você só precisa se afastar das luzes das cidades para conseguir vê-lo.

Mas ainda que mochileiros consigam faze-lo sem quebrar a banca, de maneira geral este não parece um passeio barato e uma vez que estiver lá você vai querer andar de dogsled e snowmobiles, vai querer ver as renas e o Ice Hotel e talvez esquiar… Mas também tenho certeza de que é possível faze-lo sem gastar uma montanha de dinheiro, tem várias agências com propostas de programas semelhantes por valores mais razoáveis, abaixo estão os links.

Aqui as opções de hospedagem em Kiruna avaliadas no Trip Advisor.

O que fazer além das excursões do Ice Hotel 

Em Kiruna, tem várias agências que oferecem passeios semelhantes e, normalmente, mais em conta do que aqueles oferecidos pelo Ice Hotel.

É possível fazer passeios de dogsled, trenó puxados por renas, snowmobile, visitas ao povo Sámi, excursões em busca da Aurora Boreal, caminhada de Snowshoe, caça ou pesca e até fotografar a Aurora Boreal com orientação específica para isso na Kiruna Guide Tour ou na Kiruna Lapland ou na Husky Voice ou na Active Lapland ou ainda na Bjork Liden.

Algumas destas agências oferecem passeios pela floresta, outras oferecem passeios mais leves onde o passageiro não precisa dirigir o trenó puxado pelos cães ou o snowmobile. Pesquise e encontrará o que lhe cabe como uma luva.

Todas as agências oferecem “warm external clothes”, gorros, botas e luvas. E muitos destes passeios são mais “em conta” em torno de R$400 ou R$500 por pessoa.

Se seus planos incluem esquiar, em Riksgransen tem escola de esqui e hotel, mais aqui e aqui. É possível chegar de Kiruna a Rinksgransen de ônibus, em cerca de 2h.

Se por acaso não conseguiu ver a Aurora Boreal na região de Kiruna, Abrisko é o local próximo mais indicado para tentar novamente. Fica pouco mais de uma hora de Kiruna e lá o céu costuma estar limpo mais noites do que em Kiruna. Abrisko é também uma estação de esqui, se por acaso te interessa.

Como se deslocar na região?

Se por acaso quiser se deslocar pela Lapônia Sueca, a companhia de ônibus é a Länstrafiken Norrbotten que permite deslocamento pela região, inclusive para Abrisko (em busca da Aurora Boreal) ou a Riksgransen (estaçao de esqui) a preços razoáveis.

Também é possível ir de trem de Estocolmo até Abrisko, cerca de 14 horas de viagem.

E se por acaso você for um “as no volante” sob a neve, pode também alugar um carro em Kiruna e dar umas voltinhas, inclusive chegando até Abrisko (90km) ou até Tromso (390km), na  Noruega uma cidade bem mais ao norte e conhecida como ótimo observatório da Aurora Boreal.

O que é preciso saber

1) siga a orientação de como se vestir, mais aqui e aqui. Evite roupas de algodão, que ficam molhadas quando transpiramos e acabam deixando nosso corpo gelado. Use lã e tecidos térmicos que absorvem o suor e os fazem evaporar, retirando-o do contato com nosso corpo.

2) o Ice Hotel e as agências de turismo fornecem as “warm clothes” que devem ser usadas sobre seu arsenal de inverno e que te protegerão das baixas temperaturas durante os passeios. Não ouvi um único relato de alguém “morrendo de frio”, mas keep in mind as temperaturas baixam dos -10C frequentemente. Relatos de -20C em dezembro a fevereiro são frequentes.

3) não tome banho ou passe creme no rosto nas manhãs que antecedem passeios de snowmobile ou dogsled. Assim a camada de oleosidade natural da pele o protegerá de frostbite, feridas e rachaduras provocadas pelo frio.

4) As baterias das máquinas descarregam mais rapidamente em temperatura baixa, leve pilhas ou baterias reservas e as mantenha regarregadas;

5) depois de atividades externas e exposição à temperaturas baixas coloque seu equipamento fotográfico dentro de saco plástico antes de entrar num ambiente aquecido, para que não haja condensação dentro de seu equipamento. Só retire do plástico quando ao tocar o equipamento sentir que está em temperatura ambiente.

Northern Light ou Ice hotel – alguns links que valem uma olhada

O essencial site de turismo na Suécia Visit Sweden. Onde também estão informação sobre o Sol da Meia Noite ou a Northern LIght

Sobre o Ice hotel no Trip Advisor.

Aqui um post super completo sobre o Ice Hotel e os passeios feitos por lá. All you need to know about Ice hotel and Northern Light.

Sobre Kiruna e região e sobre os passeios que podem ser feitos por lá.

Se animou? Me manda fotos se você chegar até lá!?!

Viajando com as crianças – e não dá muito trabalho? (2)

Padrão

Continuando E não dá trabalho? (1)

Pois é… as malas dão trabalho mas ao menos não andam sozinhas, já as outras malinhas…🙂

As malinhas... brincadeira!!! :-)

…brincadeira!!! Oh dó, mas não resisti Ninoca!🙂

É preciso orienta-los a não se separar em lugares muito cheios. É preciso lembra-los de não esquecer a mochilinha pessoal e aquilo que ela carrega.

É preciso chama-los para fazer o número 1 e o número 2 na hora em que temos um bom banheiro ao alcance (e invariavelmente alguém não o usará para poder deixar sua “lembrança” depois, num banheiro pior! Será um problema no chip dos meus filhos?). Tem mais dicas aqui.

É preciso estar atento para ter uma muda de roupa ou casaco na mão.

É preciso ter água, suquinho e um lanchinho que segure a tarde, ou um imprevisto, até que seja possível sentar num restaurante.

É preciso avaliar se no menu do restaurante tem pratos que apetecem as crianças.

E se você já está cansada(o), ainda falta algo também essencial: é preciso educa-los quanto ao modo de se comportar naquele determinado lugar.

Se não é permitido tocar as obras do museu, “não toque”. Se não é permitido fotografar, “não fotografe”. Se a estatura não é permitida no brinquedo, paciência, deixa para a próxima viagem.

Se nos EUA as crianças têm que usar o “booster” no carro numa idade já liberada no Brasil, respeite, vamos todos sentados nas cadeirinhas e respeitando a lei local. (Mais dicas aqui)

Se na Europa as pessoas falam baixo, não gritam e tentam não incomodar a pessoa ao lado, lá vamos nós explicando, mostrando e exemplificando o comportamento esperado das crianças.

Como brinca o Papis, nas viagens de férias o trabalho sem fim vai com a gente!

Mas não é nossa função mesmo? E afinal de contas, trabalho sem fim é… sem fim!😉

E viajando é uma ótima oportunidade para conversarmos sobre as diferenças culturais, o respeito às regras, enfim, é uma excelente oportunidade para educarmos nossos filhos para o mundo!

Ficou cansada(o)?

Não desista, viajar com as crianças é muito divertido e enriquecedor! Elas aprendem muito, crescem e nos surpreendem.

E parafraseando algo que sempre ouço: aproveite que elas “ainda” adoram viajar com vocês! 😦

Ai, não! Sou mãe corujíssima! Eles vão sempre estar por perto e o Dito aos 05 anos me prometeu uma viagem para a Disney no meu aniversário de 80 anos, mesmo que eu precise “de uma forcinha numa cadeira de rodas”! Palavras dele🙂 !

Aí quem vai ter trabalho serão eles! E vão criar um blog: Vovós também viajam!